top of page

Quer aprender a meditar as escrituras? Veja um exemplo sobre a Lectio Divina clicando aqui.

O Missário 2024 está em promoção com 20% de desconto! E comprando 2 ou mais, você ainda ganha mais 10%. Compre clicando aqui.

Semana Santa - 31/3/2024 - Domingo da Páscoa - Liturgia Diária

Resolvemos colocar uma breve explicação sobre a Semana Santa, antes da Liturgia do Domingo de Páscoa. Caso não queira ler tudo, é só descer até o começo da liturgia abaixo da imagem.


A Semana Santa é o período mais sagrado do calendário litúrgico. Ela inicia no Domingo de Ramos e termina no Domingo de Páscoa, abrangendo os eventos finais da vida terrena de Jesus Cristo.


O termo "Paixão" vem do Latim "passio", que significa "sofrimento". Assim, a Paixão de Cristo descreve o intenso sofrimento e sacrifício que Jesus experimentou para redimir a humanidade de seus pecados. Ela narra os eventos que levaram à crucificação de Jesus, segue uma sequência de acontecimentos profundamente significativos, conforme descritos nos Evangelhos. Aqui estão os eventos principais:


  1. Unção em Betânia: Jesus é ungido por Maria, irmã de Lázaro, em Betânia. Ela usa um perfume caro para ungir os pés de Jesus e os enxuga com seus cabelos, um ato de amor e reverência que Jesus aceita como preparação para seu sepultamento. - Segunda-Feira Santa

  2. Entrada Triunfal em Jerusalém: Jesus entra em Jerusalém montado em um jumentinho, cumprindo profecias messiânicas. Ele é recebido com entusiasmo pela multidão, que espalha ramos de palmeiras e o saúda como o rei messiânico. - Domingo de Ramos

  3. Última Ceia e Lava-pés: Jesus celebra a Páscoa com os discípulos, instituindo a Eucaristia. Neste mesmo evento, Jesus lava os pés dos discípulos, demonstrando a importância do serviço altruísta. - Quinta-Feira Santa

  4. Traição de Judas: Durante a Última Ceia, Jesus anuncia que um dos discípulos o trairá. Judas Iscariotes, o discípulo traidor, sai para conspirar com os líderes religiosos, acertando a traição de Jesus por trinta moedas de prata. - Terça e Quarta-Feira Santa 

  5. Oração no Monte das Oliveiras: Jesus vai ao Jardim do Getsêmani para orar, expressando angústia diante do sofrimento que enfrentará. Ele pede que os discípulos vigiem, mas os encontra dormindo. - Vigília da Quinta-Feira Santa

  6. Prisão de Jesus: Jesus é traído por Judas e preso por soldados romanos e guardas do templo, após Judas o identificar com um beijo. - Sexta-Feira Santa

  7. Julgamentos: Jesus enfrenta vários julgamentos diante das autoridades judaicas, seguido por julgamentos perante Pilatos e Herodes, culminando com a sentença de crucificação por Pilatos. - Sexta-Feira Santa

  8. Flagelação e Caminho da Cruz: Jesus é açoitado e forçado a carregar a cruz até o local de sua crucificação, o Gólgota. - Sexta-Feira Santa

  9. Crucificação: Jesus é crucificado, morrendo na cruz. Durante sua crucificação, ele expressa palavras de perdão e cuidado, cumprindo as profecias messiânicas. - Sexta-Feira Santa

  10. Sepultamento: O corpo de Jesus é retirado da cruz, preparado e sepultado em um túmulo novo por José de Arimateia e Nicodemos. - Sexta-Feira Santa

  11. Ressurreição: No terceiro dia, Jesus ressuscita dos mortos, deixando o túmulo vazio. - Vigília do Sábado Santo e Domingo de Páscoa


O ponto culminante da Semana Santa é o Tríduo Pascal, que começa na tarde da Quinta-feira Santa (fim da quaresma) e termina na manhã do Domingo de Páscoa, englobando três dias de profunda veneração e celebração:


  • Quinta-feira Santa: Este dia relembra a Última Ceia de Jesus com seus discípulos, durante a qual instituiu o sacramento da Eucaristia e o mandamento do amor cristão, simbolizado pelo lava-pés. É no Lava-pés que Jesus estabelece o novo mandamento do amor: amarmos uns aos outros como Cristo nos ama, um que dá pelo outro a Vida. A Quinta-feira Santa marca também a transição de Jesus para o seu sofrimento no monte das Oliveiras, onde orou enquanto enfrentava a angústia pela sua iminente crucificação. - Na missa da Ceia do Senhor na quinta temos a celebração de lava-pés.

  • Sexta-feira Santa: Este é um dia de silêncio e adoração diante do sacrifício supremo de Jesus, sua crucificação e morte no Calvário. A Igreja medita sobre a paixão de Cristo através da Via Sacra, refletindo sobre cada estação que leva ao Calvário. É um dia de jejum e abstinência, onde a ausência da a consagração do pão e do vinho simboliza o luto pela morte de Jesus. É dia de Jejum e de abstinência de carne, pois este é o dia que o senhor profetizou: Podem porventura jejuar os convidados das núpcias, enquanto está com eles o esposo? Enquanto têm consigo o esposo, não lhes é -possível jejuar. Dias virão, porém, em que o esposo lhes será tirado, e então jejuarão. (Mc 2, 19-20) - Em alguns locais se realiza a procissão do enterro depois da celebração.

  • Sábado Santo: Também conhecido como Sábado de Aleluia, é um dia de vigília e espera. A Igreja permanece junto ao sepulcro do Senhor, meditando em seu sofrimento e morte. A Vigília Pascal, celebrada após o pôr do sol, é o ponto alto do Tríduo Pascal. Ela começa com a cerimônia do fogo novo e a bênção do círio pascal, simbolizando a luz de Cristo que dissipa as trevas do pecado e da morte. - Levem as suas velas para a vigília. Além da liturgia da Palavra e a Eucarística, essa missa também possui a liturgia da luz, e liturgia batismal (muitas vezes, a Vigília Pascal inclui o batismo de novos membros na comunidade cristã, bem como a renovação das promessas batismais pela congregação).

Terminado o Tríduo, chegamos no Domingo de Páscoa.


Tumulo vazio de Jesus - Semana 13 - 31/3/2024 - Domingo da Páscoa

O que vamos aprender nessa semana?

No Evangelho, Maria Madalena e Pedro olham o túmulo vazio, mas sem compreender que Jesus havia ressuscitado. Na primeira leitura, Pedro testemunha sobre a vida, morte e ressurreição de Jesus.

Na segunda leitura, Paulo nos diz: “Se ressuscitastes com Cristo, esforçai-vos por alcançar as coisas do alto”.

 

Neste domingo, a ressurreição de Jesus Cristo, marca a vitória sobre o pecado e a morte e oferece a salvação e a vida eterna.

Leituras

Primeira Leitura (At 10,34a.37-43)

Leitura dos Atos dos Apóstolos

Naqueles dias, Pedro tomou a palavra e disse: Vós sabeis o que aconteceu em toda a Judeia, a começar pela Galileia, depois do batismo pregado por João: como Jesus de Nazaré foi ungido por Deus com o Espírito Santo e com poder. Ele andou por toda a parte, fazendo o bem e curando a todos os que estavam dominados pelo demônio; porque Deus estava com ele. E nós somos testemunhas de tudo o que Jesus fez na terra dos judeus e em Jerusalém. Eles o mataram, pregando-o numa cruz. Mas Deus o ressuscitou no terceiro dia, concedendo-lhe manifestar-se não a todo o povo, mas às testemunhas que Deus havia escolhido: a nós, que comemos e bebemos com Jesus, depois que ressuscitou dos mortos. E Jesus nos mandou pregar ao povo e testemunhar que Deus o constituiu Juiz dos vivos e dos mortos. Todos os profetas dão testemunho dele: 'Todo aquele que crê em Jesus recebe, em seu nome, o perdão dos pecados'.


Salmo Responsorial Sl 117(118),1-2.16ab-17.22-23 (R. 24) – Agradeçam a Deus

 

O Salmo 117 (118) é um hino de ação de graças que celebra a misericórdia duradoura de Deus e Sua ajuda salvadora. Ele destaca a confiança no Senhor em vez de confiar em seres humanos ou em príncipes.

 

Refrão (24): Este é o dia que o Senhor fez para nós: alegremo-nos e nele exultemos!

 

Dai graças ao Senhor, porque ele é bom! "Eterna é a sua misericórdia!" A casa de Israel agora o diga: "Eterna é a sua misericórdia!" R.

A mão direita do Senhor fez maravilhas, a mão direita do Senhor me levantou. Não morrerei, mas ao contrário, viverei para cantar as grandes obras do Senhor! R.

A pedra que os pedreiros rejeitaram, tornou-se agora a pedra angular. Pelo Senhor é que foi feito tudo isso: Que maravilhas ele fez a nossos olhos! R.


Segunda Leitura (Cl 3,1-4) (ou à escolha 1Cor 5,6b-8)

Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses

Irmãos: Se ressuscitastes com Cristo, esforçai-vos por alcançar as coisas do alto, onde está Cristo, sentado à direita de Deus; aspirai às coisas celestes e não às coisas terrestres. Pois vós morrestes, e a vossa vida está escondida, com Cristo, em Deus. Quando Cristo, vossa vida, aparecer em seu triunfo, então vós aparecereis também com ele, revestidos de glória.


Evangelho (Jo 20,1-9)


No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus, bem de madrugada, quando ainda estava escuro, e viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo. Então ela saiu correndo e foi encontrar Simão Pedro e o outro discípulo, aquele que Jesus amava, e lhes disse: "Tiraram o Senhor do túmulo, e não sabemos onde o colocaram". Saíram, então, Pedro e o outro discípulo e foram ao túmulo. Os dois corriam juntos, mas o outro discípulo correu mais depressa que Pedro e chegou primeiro ao túmulo. Olhando para dentro, viu as faixas de linho no chão, mas não entrou. Chegou também Simão Pedro, que vinha correndo atrás, e entrou no túmulo. Viu as faixas de linho deitadas no chão e o pano que tinha estado sobre a cabeça de Jesus, não posto com as faixas, mas enrolado num lugar à parte. Então entrou também o outro discípulo, que tinha chegado primeiro ao túmulo. Ele viu, e acreditou. De fato, eles ainda não tinham compreendido a Escritura, segundo a qual ele devia ressuscitar dos mortos.

Palavras do Papa

A Páscoa ensina-nos que o crente se detém pouco no cemitério, porque é chamado a caminhar ao encontro do Vivente. E quantas vezes, mesmo depois de ter encontrado o Senhor, voltamos entre os mortos, repassando intimamente saudades, remorsos, feridas e insatisfações, sem deixar que o Ressuscitado nos transforme! Queridos irmãos e irmãs, na vida demos o lugar central ao Vivente. Procuremo-Lo a Ele, deixemo-nos ser procurados por Ele, procuremo-Lo em tudo e antes de tudo. E com Ele, ressuscitaremos. (Homilia de 20 de abril de 2019)